quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Teste de Longa Duração da revista Quatro Rodas



A revista Quatro Rodas que está nas bancas neste mês de janeiro traz como matéria de capa o resultado do teste de longa duração do novo EcoSport 1.6 FreeStyle 2013.

O EcoSport da revista Quatro Rodas rodou 60.000km e ao final do teste foi desmontado e teve todas as peças cuidadosamente avaliadas pela equipe de profissionais da revista.

As principais ocorrências do EcoSport do longa duração da Quatro Rodas foram:

6 290 km Marcador de combustível indica nível abaixo do real.
8 968 km Alarme dispara com o carro estacionado sob chuva intensa.
9 326 km Substituição de braços e palhetas do para-brisa em garantia. Estavam trepidando.
10 857 km Palheta do para-brisa voltou a vibrar.
16 308 km Espelho do para-sol direito solto.
16 645 km Portinhola de acesso ao bocal de abastecimento do tanque solta.
17 669 km Borracha da porta traseira direita solta.
18 565 km Alarme dispara com o carro estacionado sob chuva intensa.
24 792 km Portinhola de acesso ao bocal de abastecimento do tanque solta.
24 901 km Marcador de combustível indica nível abaixo do real.
36 909 km Ar-condicionado fraco. Ganhou recarga de gás, mas voltou a enfraquecer.
45 307 km Ruídos nas acelerações e retomadas. Detectada ruptura no coxim do câmbio.
45 358 km Portinhola de acesso ao bocal de abastecimento do tanque solta.
57 939 km Lâmpada de freio direita queimada. Compramos e trocamos por conta própria.


A revista diz que o desmonte do EcoSport foi um dos mais controversos da história do teste de Longa Duração. Depois de rodar 60 mil quilômetros, o Ford EcoSport foi desmontado e reprovado, algo que não acontecia na revista desde 2009.

O EcoSport testado no Longa Duração da revista Quatro Rodas é exatamente igual ao meu: EcoSport FreeStyle 1.6 2013, inclusive alguns problemas que aconteceram com o EcoSport da Quatro Rodas também aconteceram com o meu EcoSport como por exemplo alarme que disparava na chuva, vidro do passageiro que não fechava na primeira tentativa, porta-óculos que não fechava na primeira tentativa, limpadores de para-brisa com falha na limpeza e tampa do tanque de combustível com dobradiça quebrada. Todos os problemas foram resolvidos em garantia e estão publicados aqui no blog.

Hoje eu não tenho nada para reclamar do meu EcoSport. O que posso dizer é que ele é um carro com um design muito bonito, econômico, gostoso de dirigir, com incrível estabilidade em curvas e sem barulhos. Acreditem, meu EcoSport não tem barulho interno. Talvez eu seja um sortudo.

O problema que aconteceu com o EcoSport do longa duração da revista Quatro Rodas foi excesso de carbonização úmida do motor.
Infelizmente não tem como eu saber se o meu EcoSport também tem este problema, porque eu teria que desmontar o motor para verificar isso.

Resta agora a Ford se pronunciar sobre este assunto e esclarecer se o problema foi pontual ou se todos os EcoSport com motor 1.6 também estão sujeitos a este problema.

É bom deixar claro que o motor Sigma 1.6 está no mercado nacional desde 2009 e nunca ocorreu relatos de problemas. O motor Sigma 1.6 é fabricado em Taubaté, é exportado e montado no Fiesta mexicano que é vendido nos Estados Unidos, além das versões 1.6 16V gasolina do Fiesta e Focus de alguns mercados europeus.

Vamos aguardar um posicionamento oficial da Ford sobre este assunto.






24 comentários:

  1. Flavio
    Pelo péssimo pós-vendas que a Ford presta a seus clientes, eu não acredito que ela se pronunciará a respeito do assunto, ou seja, deixará o assunto a deriva, o que seria uma profunda falta de respeito com a principal revista de automobilismo do Brasil e conosco também que fomos os primeiros a receber o Novo EcoSport comprados na pré-vendas,
    Abs.
    Carlos Iwanaga

    ResponderExcluir
  2. Queria dar uma opinião... Essa "reprovação" da revista Quatro Rodas tem sido motivo para questionamentos de toda ordem desde o lançamento no início deste ano. É notório que a revista está provocando o mercado automobilístico nacional, reprovando um carro 100% brasileiro e de sucesso aqui e lá fora! É só abrir a revista para ver a quantidade impressionante de propagandas de montadoras orientais... De qualquer forma, eu acredito que os problemas apontados aconteceram de fato mas podem ter sido simples casualidade de um teste, da mesma forma que existem carros de donos que são perfeitos, normais (que apresentam problemas) e tem aqueles que até botam fogo de tanto problema! Todos os carros de todas as marcas são assim! Talvez Ferrari e Lamborghini não... Por fim, penso que a Ford deveria mesmo é ignorar a Quatro Rodas. Mas a Ford deveria sim também, melhorar aspectos no carro para deixar ele mais bem montado e perfeito.

    Luis Ribeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmao ' a revista quatro rodas e muito seria, ela nso tem interesse agum e m reprovsr um carro de qualidade seja ele de qual montadora for, uma vez que ela poderia ser processada, nao tente tapar o sol com a peneira , se vc comprou essa carroca o azar e seu nao tente justificar venda essa porcaria para outro otario

      Excluir
  3. Estou querendo comprar o novo ecosport, mas confesso que as vezes fico me perguntando se realmente será uma boa compra, haja visto tantas queixas, entretanto, se formas analisar todos os carros possuem donos satisfeitos e insatisfeitos. Antes de comprar o carro que tenho hoje (fox 1.6), li muitas coisas negativas, ja estou com o carro a 4 anos e não tive nenhum problema que me fizesse dizer que o carro não presta.
    Espero não me arrepender de comprar o eco, ja que estou indo contra a vontade do meu marido em comprar este veiculo.
    Este blog tem esclarecido muitas duvidad minhas, obrigada por esta prestação de serviço.

    Eliana

    ResponderExcluir
  4. Pelo que li, o excesso de carbonização gerou uma reação em cadeia e várias peças do motor ficaram condenadas...

    De qualquer forma vale avaliar o motivo inicial da carbonização, no módulo de gerenciamento de injeção de combustível... talvez uma atualização do software possa resolver e prevenir o desgaste dessas peças dos ecosports que estão rodando.

    ResponderExcluir
  5. Tenho um Ecosport 1.6 Freestyle, 2013, branco, exatamente igual ao seu. :) E estou muito satisfeito com o carro.

    Recentemente fiz uma longa viagem (Ribeirão Preto - Porto Alegre - Ribeirão Preto), e só fiz reafirmar a excelente escolha que fiz.

    Estou me preparando, contudo, para trocá-lo no final do ano por um 2.0 Titanium. Em duas ou três situações de ultrapassagem na "Rodovia da Morte" senti que o motor foi incapaz de oferecer o desempenho de que eu precisava para ultrapassar com 100% de segurança. Em cada uma das duas situações havia uma pessoa diferente ao meu lado, e ambas disseram que essa sensação de insegurança some com o passar do tempo, mas honestamente vou preferir investir num "upgrade".

    Quanto ao teste da Quatro Rodas, eu li a matéria, e fico me perguntando se todos os que consideram não comprar um Ecosport por causa dela, realmente a leram, e se leram se foram capazes de interpretar o que estava escrito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tive esta experiência VIAJEI RECIFE X CHUI dois anos seguidos mesmo roteiro IDA BR 116 RETORNO BR101 andando todo tipo Asafalto. No primeiro ANO 2009 < UM ecosport XLT motor 1.6 = 105 cv (utilizando somente ETANOL. ...ANO 2010 < Um ECOSPORT 2.0 = 145 CV (utilizando somente ETANOL. foram praticamente 10.000kms rodado estradas muitos caminhões LONGOS CEGONHAS caminhões carrolerias duplas. CONCLUSÃO>>OS 40 CV A ++++QUE O MOTOR 2.0 OFERECIA, DAVAM UMA SEGURANÇA BEM MAIOR PARA ULTRAPASSAGENS. pois sua terceira marcha e incrível haja potencia.

      Excluir
  6. Essa semana eu percebi um barulho ao arrancar, como se fosse uma trepidação no Cambio (EcoSport Titanium 2.0 Powershift) alguém já teve esse problema ?

    ResponderExcluir
  7. Boa noite. Tenho uma Eco Titanium 2.0 aut. Alguem poderia me inforrmar a probabilidade
    De ocorrer os mesmos problemas relatados pela revista?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo, o problema mais grave relatado pela revista foi no motor. Mas o EcoSport da revista tem motor Sigma 1.6 e o seu EcoSport tem motor Duratec 2.0.

      O problema que ocorreu com o EcoSport da Quatro Rodas nunca vai acontecer com o seu.

      Abraços.

      Excluir
    2. Obrigado Flavio

      Excluir
  8. Como não acredito muito na 4 patas vou de EcoSport mesmo. A Ford e a Honda são as duas montadoras nacionais que mais vem inovando em no nosso país.

    ResponderExcluir
  9. Continuo achando que faltou "investimento" da Ford em publicidade neste caso. Tenho uma Freestyle 2.0 2013/2013 e confesso que somente o acabamento me decepcionou. As rebarbas e encaixes não são muito bons, mas fora isso não tive nenhum dos problemas listados. Já andei em areia, pedra, terra, lama e só senti falta do 4WD mesmo...pois na concessionária não existia a opção quando comprei a minha. Acho que faltam os donos satisfeitos se pronunciarem...pois reclamar é muito fácil, não é?! Quando se está satisfeito, temos a tendência de não se preocupar com o assunto.

    ResponderExcluir
  10. Meu EcoSport (2013) está há mais de um mês na segunda revisão na Ford Fênix Belém. Motivo: houve uma rachadura no cárter, entre outros danos, e a peça teve de vir de São Paulo.
    Em menos de um ano de uso, o meu carro apresentou alguns problemas, tais como: ar-condicionado fraquíssimo, vidro do motorista que não abaixa completamente, vidro do passageiro que não levanta na primeira tentativa, luz de freio esquerda que não acende, porta-óculos que abre a todo momento, o esguicho de água no para-brisa não funcionou mais, uma pequena trepidação durante a ré e, principalmente, o motor desligava do nada e só voltava a ligar depois de um tempo (me falaram que era problema na chave), entre outras coisas.
    Na primeira revisão, tiveram de trocar uma peça que eu julgo ser o computador de bordo (!) porque o Sync não funcionou mais com apenas um mês de uso (!!), só tocava rádio (tive de esperar até as férias de julho para levar em Belém porque sou professor no interior do Pará).
    Sério. Pense num carro bonitinho mas ordinário... Nessa quinta-feira (30/01), irei buscá-lo e pagar quase 3 mil reais de revisão. Nunca mais comprarei carro na Ford Fênix Belém.

    Augusto

    ResponderExcluir
  11. ACHEI A REVISTA MUITO TENDENCIOSA, SE O PROBLEMA MAIOR FOI NO MOTOR 1.6 PORQUE ELES NÃO COLOCARAM QUE ERA O ECO 1.6 PRA ESCLARECER MELHOR, POIS TEM MUITA GENTE QUE TEM ECO 2.0 QUE PRA MIM É A MELHOR, ANDA BEM, E É MAIS ECONOMICA QUE A 1.6 PELO PESO DO CARRO, EU INDICO COMPRE ECO 2.0 QUE É UM EXCELENTE CARRO JÁ COMPREI DUAS RODEI 30.000 MIL CADA E NENHUM PROBLEMA.

    ResponderExcluir
  12. Quem é Ford? Quem é quatro rodas?
    Descubra suas verdades e definam suas opniões.
    O nome, a marca, sua trajetória no seu segmento, suas falhas e suas virtudes denota a responsabilidade exercida sobre seu publico e as consequências advindas do seu exercício.

    Comparem e entendam como o mercado é influenciado pela opinião paga.

    ResponderExcluir
  13. Então... Permitam-me comentar, pois pode dar uma conotação de exagero, mas considero este blog com muito mais credibilidade do que a referida revista, até porque acompanho os posts a um bom tempo e considero a opinião do Flavio e demais usuários "mortais" como eu, além de sinceras e reais do dia a dia, não há interesses escusos ou lobby envolvido, similar ao que ocorre por trás de publicações e mídias GLOBAIS, plim plim... Etc

    Mas voltando, tenho uma Eco Titanium 13/14, 1.6 manual, adquirida no final de outubro/13. Fiz muitas pesquisas antes de escolher a nova Eco, inclusive com diversas leituras a este blog.

    Em 03 meses anteriores de pesquisas, fui a todas as concessionárias em BH, pois a única coisa que tinha decidido era a categoria SUV, uma vez que após 05 anos com um Crossfox (que nunca me apresentou problemas nos 128 mil km rodados, apenas uma observação para o barulho interno com o passar dos anos), decidi seguir em um carro meio urbano, meio aventureiro, o vi no design da nova Eco, algo que muito me agradou e agrada.

    Testei, estudei e pesquisei do chinês Lifan x60, passando pelo Renault Duster, o novo Tiggo da Chery, e até mesmo o novo Crossfox, apesar de não ser totalmente da categoria.

    Quase esperei o novo Tracker, que depois de mais pesquisas, desanimei devido a versão inicial para o Brasil ser apenas a LTZ topo de linha, e não estava disposto a pagar mais do que até R$ 65 mil em um veículo, além das comparações tecnológicas como controle de estabilidade, direção elétrica existentes na Eco, pesou por ser um carro já montado no Brasil, fiz a escolha...

    Agora vamos lá, fui, gostei e comprei ... Lembro que até descontrai com a vendedora da Ford, comentando que ela deve ter vendido a Eco mais fácil da vida, pois entrei na concessionária e disse: Quero aquela Eco, na cor branca, modelo Titanium 1.6, duplo airbag, manual e a vista... Ela rapidamente pegou o prospecto para me apresentar o carro, e interrompi dizendo já conhecê-lo por inteiro, tecnologia, etc. Foi algo de 30 minutos e pronto! Negócio fechado.

    Desde então são 03 meses e não tenho NENHUM problema grave, salvo um pequeno alinhamento no porta malas, coisa de 04 milímetros, um pequeno barulho interno (nada de insuportável) no porta óculos... Mas talvez a minha chatice por esses barulhos, me traumatizou devido ao Cross, levando ao extremo da perfeição, e o alarme que disparou uma única vez em chuva forte... Mas foi um temporal considerável, e em dias ensolarados o reflexo prata da saída do ar condicionado, incomoda um pouco no retrovisor. Nada de outro mundo, mas estou pensando na opção em modificar para black piano.

    Recente fiz uma vagem de ida e volta BH x Ilheus (BA), perfazendo um total de 3.500km, sem nenhum problema, e por experiência posso afirmar sobre o conforto em dirigir, segurança nas curvas, potência e retomadas do motor em ultrapassagens. Apenas o consumo médio em rodovias, não posso culpar ser tão bom, pois confesso que ando com o pé um pouco pesado no acelerador, então média ficou em 10,9 com o ar ligado em tempo integral.

    Hoje estou exatamente com 6.102 km, e felizmente sem nenhum dos problemas apresentados na matéria da revista, e também enfrentados pelo Flavio. Acredito que com a ajuda de usuários responsáveis como ele, pois é legítimo reclamar por algo que compramos e temos o direito de ter em perfeito estado, a montadora tenha corrigido nas versões posteriores.

    E antes que venha um comentário, não trabalho para a Ford, não tenho nenhuma relação com a montadora nem concessionária. Apenas sou um consumidor também exigente, mas que aprendi a reclamar quando devido, entretanto elogiar quando está tudo OK! Então posso afirmar que tanto em atendimento, como satisfação do veículo, até o presente momento, recomendo a nova Ecosport.

    E obrigado Flavio pela ajuda nos seus posts... Me auxiliou bastante, tanto na escolha como nas dúvidas... abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assino embaixo Giovani. Tenho uma Eco 2.0 Tit e ate agora nao tenho nenhuma reclamacao a fazer. Tambem achei sensacionalista a revista apenas para vender poe aquela capa que cabe ate indenizacao por dano moral, ja que detona todos os proprietarios de Eco independentemente do modelo. Por que nao puseram: Modelo tal da Eco reprovado! Seria mais honesto. Mas querem vender.

      Excluir
  14. Eu estava decidida a comprar a eco sport mas agora fiquei indecisa depois da reportagem da revista quatro rodas

    ResponderExcluir
  15. Infelizmente a matéria por mais que as pessoas falem que é comprada e para vender revista é a mais pura verdade. Tenho um Focus com o mesmo motor (2011) e está com um barulho no mancal apresentando o mesmo desgaste da reportagem. Demorei para acreditar mas realmente é real. Não se sabe quanto tempo a peça irá durar pode ser que dure mais de 130mil mas o fato é que o problema existe. Aqui em Curitiba meu mecânico já pegou esse motor com esse ruído no mancal em outros Focus. Meu carro está com 75mil.

    ResponderExcluir
  16. Tenho uma eco free style powershift 2.0, 2015, 7.000 KM rodado, até o momento satisfeito com o carro, nada a reclamar. Isso não me impede de reclamar se algum problema futuro acontecer, e se acontecer, transpareço sem o menor problema, mas até o momento estou adorando o carro. Motor potente, boas retomadas, segurança, estbilidade, etc...

    ResponderExcluir
  17. Uma detalhe apenas: Segundo a revista, um dos problemas graves no motor seria nas bronzinas de biela... Se você fizer as contas (praticamente ninguém faz) você vai ver que a diferença foi de apenas 4,4%, óbvio que se está abaixo do estipulado já está errado mas será que o nível de desgaste é tão grave assim?!

    ResponderExcluir
  18. Comprei uma Freestyle 1.6 2015, manual, na verdade fui atrás do custo-benefício e fugir do problemático câmbio powershift. Pesquisei muito e foi o melhor custo-benefício, apenas me assustei com o custo do seguro.

    ResponderExcluir